REVIEW

Mario Tennis Aces Review: Mirando lá em cima

  • Data de Lançamento: 22/06/2018
  • Data do Review: 27 de junho, 2018
  • Switch

Cai pra dentro.

por Justin Clark em 27 de junho, 2018

traduzido por Bruno Araujo em 27 de junho, 2018

Quando subiram os créditos do Modo Aventura de Mario Tennis Aces, jurei que nunca mais iria rir de um jogador de tênis surtando em plena quadra. Eu havia sentido a onda vulcânica de adrenalina que surge quando uma disputa vai longe demais. Eu conhecia a sensação de alerta máximo enquanto tentava adivinhar em qual canto da quadra meu oponente iria atacar. Eu havia inventado novos palavrões para resmungar quando uma bola quicava fora das linhas. Cenários criativos e pouco convencionais do universo de Mario e seus amigos garantem que você nunca se esqueça de simplesmente se divertir, mas não deixe o exterior te enganar: Aces leva seu estilo pouco ortodoxo de tênis muito a sério.

O vigor renovado de Mario Tennis vem de uma suíte de novas mecânicas que te forçam a tomar decisões cruciais de risco e recompensa. Movimentos especiais agora estão ligados a uma barra que se enche pouco a pouco conforme você rebate as investidas do seu oponente — ou mais caso você consiga carregar a força das suas raquetadas.

Quando pelo menos um terço da barra de energia se encher, qualquer bola que for pingar no seu lado da quadra será sinalizada com uma estrela brilhante. Basta iniciar um movimento de dentro da estrela para ativar uma visão em primeira pessoa que permite mirar o poderoso Zone Shot.

No caso da barra se encher por completo, você pode executar o Special Shot do seu personagem. E apesar desses especiais não desencadearem a cavalgada de efeitos de Mario Tennis: Ultra Smash, do Wii U, eles disparam uma bola em altíssima velocidade. São necessárias manobras exatas para devolver esse tipo de ataque sem causar dano à sua raquete — e se a sua coleção inteira de raquetes for pro espaço, já era.

Segurar o botão R também consome a barra de energia, mas faz o jogo ficar em câmera lenta, dando tempo para você se deslocar e alcançar bolas difíceis. Ou ganhar uma pequena vantagem para devolver bolas capazes de quebrar sua raquete.

Simultaneamente, uma nova mecânica de esquiva chamada Trick Shot permite fazer salvamentos impossíveis. Basta apontar a alavanca direita do controle na direção de um ataque na hora certa e o personagem cruza a quadra instantaneamente, rebatendo a bola.

Você até consegue se virar com ataques básicos durante partidas simples, mas nas avançadas a troca de golpes poderosos soa como uma sinfonia esbaforida que exige que você esteja no topo do seu jogo e das suas opções.

Até mesmo os veteranos da série vão enfrentar uma certa curva de aprendizagem, mas o Modo Aventura de Aces cumpre sua tarefa de divertir e ensinar a como e quando usar essas novas ferramentas. A história propriamente dita é ridícula, mas ridícula daquele jeito peculiar e muito específico que a Nintendo tem usado nas últimas décadas. Durante o torneio anual de tênis do Reino dos Cogumelos, uma raquete de tênis malvada — sim, de verdade — chamada Lucien possui o corpo de Luigi e foge para encontrar as cinco Power Stones que lhe ajudarão a dominar o mundo.

Ao invés de enfrentar uma série de adversários ao longo do caminho, você é desafiado a utilizar as novas mecânicas de Aces em vários cenários incomuns. Uma fase comum pode te desafiar a apenas manter uma disputa de bola por um certo período de tempo, mas chefes e quebra-cabeças demandam um nível maior de talento. Você precisa descobrir como desarmar barreiras de proteção, para depois acumular energia, soltar um Zone Shot e atingir uma certa área da quadra para causar dano.

Os chefes também podem lançar desafios de obstáculos no meio das partidas, recompensando o uso preciso dos saltitantes Trick Shots. E esse é o Modo Aventura: uma mistura de objetivos que muda de uma fase pra outra para garantir que você não se acomode durante seu progresso.

Aces é mais difícil e tortuoso do que você deve imaginar, especialmente na segunda metade do Modo Aventura. Apesar de não ser obrigatório, repetir partidas anteriores e fazer “grinding” pode aumentar suas chances nas quadras. Ganhando ou perdendo, você ganha pontos de experiência por cada partida disputada, permitindo que você melhore a velocidade, o poder e a agilidade de Mario com o passar do tempo.

Mas não importa quantos XP você obtenha. A única maneira de chegar até o final da campanha de Aces é dominando suas mecânicas de tênis. Aqueles que perseverarem vão se encontrar mais bem equipados e preparados para enfrentar qualquer coisa que os outros modos de jogo possam oferecer.

Fora do Modo Aventura você vai encontrar um uma seleção simples de atividades. Um modo torneio com chaves, partidas amistosas contra o computador ou outro amigo, modos online, e a habilidade de disputar partidas em duplas, que podem se transformar em anarquia antes que você perceba. Um passo em falso no pacote é o Swing Mode, onde os jogadores podem mover os controles Joy-Cons como se fossem raquetes de tênis, de forma similar ao clássico Wii Sports Tennis.

De princípio parece esquisito que esse esquema de controle fique isolado em um modo específico de jogo, mas depois de um ou dois minutos, se torna óbvio: jogar com os Joy-Cons é muito impreciso, e até mesmo executar um simples “backhand” se mostra uma inquieta comédia de erros. É uma pena que os controles sensíveis a movimentos fiquem tão facilmente abaixo do restante, mas levando isso em conta, é provavelmente melhor que essa opção fique isolada.

É bem provável que a maioria dos jogadores vá gastar a maior parte do seu tempo jogando Aces online, uma experiência que pode de bastante tentativa e erro dependendo de como você é pareado com os outros jogadores.

A ausência de um rastreamento estatístico impossibilita, antes de aceitar uma partida, qualquer tipo de medicão visual de quão habilidoso é seu oponente. Por conta disso, partidas desequilibradas são bem comuns. Jogadores casuais têm a opção de limitar as partidas para um gameplay “simples”, que remove as mecânicas especiais e as quadras com armadilhas e/ou perigos específicos. Mas mesmo sem o ânimo dos movimentos especiais, tem um certo quê de relaxamento em brincar ocasionalmente com a versão sem frescuras de Mario Tennis.

No entanto, mesmo essa abordagem acaba soando falha por conta da falta de opções nas configurações que podem ser feitas livremente nas partidas multiplayer locais. É o caso do número de raquetes por jogador, os tipos de quadras que entrarão na disputa, e a duração das batalhas. As partidas Online Free Play também ficam limitadas a regras de tiebreak ao invés de sets inteiros, e isso leva longe demais essa ideia de diminuir a profundidade do jogo.

O Modo Torneio é ainda mais limitado, eliminando a opção de jogar com regras simples. Também não há incentivo algum para o sucesso, nenhuma recompensa aguardando ao final de uma sequência brutal de cinco partidas. E francamente, as pessoas que perseveram merecem alguma coisa.

Isso pode mudar nos próximos meses já que há vários espaços de personagens marcados como reservados para quem participa todo mês dos campeonatos. Mas enquanto esse artigo era escrito, até isso parece ser uma recompensa pequena demais.

Entretanto, é notável que até mesmo as limitações dos modos multiplayer não acabem totalmente com o meu entusiasmo por Aces. Mesmo dias depois dos créditos rolarem, eu ainda desejo as raquetadas satisfatórias de um Power Shot; revisito partidas mentalmente; e imagino como poderia fazer coisas de maneira diferente com um pouco mais de foco e conhecimento. Mario Tennis Aces executa o que essa série fez de melhor e, em sua maior parte, melhora o que raramente conseguiu acertar antes.

2 0
Ver comentários ()
Pontos Positivos
Novas técnicas acrescentam uma complexidade bastante necessária
A essência do gameplay de um jogo de tênis continua fácil para pegar e jogar
O divertido Modo Aventura se duplica como uma efetiva ferramenta de aprendizado
Excelente variação de fases
Pontos Negativos
O nível de dificuldade aumenta muito na segunda metade do Modo Aventura
Swing Mode não é tão responsivo como você gostaria
Emparelhamento fraco e poucos recursos atrapalham os modos multiplayer online
7
Bom
Participe da Conversa

Mario Tennis Aces

  • Data de Lançamento: 22 de junho, 2018
    • Switch
    Desenvolvedora:
    Camelot Software Planning
    Publisher:
    Nintendo
    Gênero(s):
    Tênis, Esportes
    Sem Restrição