REVIEW

PES 2019 review — Correndo sem sair do lugar

  • Data de Lançamento: 28/08/2018
  • Data do Review: 3 de setembro, 2018
  • PC, PlayStation 4, Xbox One

No meio da tabela.

por Pedro Scapin em 3 de setembro, 2018

Pro Evolution Soccer está de volta e com ambições maiores. Primeira edição da franquia de futebol da Konami desenvolvida apenas para a atual geração de consoles, PES 2019 traz uma evolução notável em mecânicas básicas de gameplay. A troca de passes, por exemplo, parece acontecer entre atletas de verdade e não entre bonecos. E cada enfiada, mais do que nunca, pode ser decisiva para vermos uma alteração no placar.

Mesmo assim, a série segue “tropeçando na bola” em aspectos importantes. A redonda só tem um comportamento realista quando está no chão. No ar, perde totalmente o peso e lembra aquelas pelotas dente de leite ou de vinil. Os chutes colocados também seguem ineficazes. E a inclusão de mais times brasileiros exclusivos, como São Paulo e Palmeiras, não compensa a perda de licenças importantes, como a Liga dos Campeões.

PES segue em evolução. Como tem acontecido, pelo menos, nos últimos cinco anos. Mas passa a sensação de estar correndo sem sair do lugar. Algumas características tiram muito da imersão de quem joga, fazendo de PES 2019 uma boa opção para quem busca uma jogatina mais casual. Sem tanto apelo para os que buscam uma experiência mais voltada para a simulação do futebol.

Toca y me voy

O aspecto que mais evoluiu em PES 2019 é o toque de bola. Ao contrário de anos anteriores, agora vale a pena passar a pelota de um jogador para o outro esperando um erro de marcação do adversário. Ou seja, dá para encontrar um buraco na defesa e encaixar aquela assistência para deixar o atacante na cara do gol.

Isso fica mais evidente quando combinado com as inúmeras novas animações do game. A movimentação dos jogadores sempre tenta (mesmo que nem sempre consiga) se adaptar às situações que se apresentam durante as partidas, evitando giros e movimentos surreais.

Mergulhando mais fundo, vale ainda salientar a inteligência artificial dos jogadores. Com a bola no pé, os outros atletas do time vão buscar espaços vazios e lutar pelo posicionamento contra os defensores para fazer a posição de pivô e criar mais opções de ataque para seu time.

Os dribles também receberam um upgrade, mesmo que não para todos. Figuras mais talentosas, como Neymar e Messi, têm um maior controle de bola e por isso possuem mais recursos para deixar os adversários na saudade. No geral, no entanto, os jogadores ainda são dependentes do combo botão de corrida + direcional.

Pisando na bola

Mas o problema de PES 2019, mais uma vez, parece ser a falta de ritmo de jogo. Mesmo em seus momentos de maior evolução, o jogo da Konami alterna bons e maus momentos que fragilizam a magia do futebol.

Falando mais especificamente da movimentação dos jogadores, PES 2019 ora é muito realista, com cortes secos, arrancadas e divididas precisas. Ora lembra os tempos de Winning Eleven no PlayStation 2.

Outro ponto que deixa a desejar é a finalização. Em 99% das vezes, bater colocado na bola com o R2 ou RT resulta em uma defesa fácil dos goleiros. Os cabeceios, por sua vez, são sempre sem força e para o alto.

A bola só rola de maneira natural quando está no gramado, pois, ao levantar voo, perde totalmente seu peso e lembra aquelas redondas de lona que são vendidas em supermercados. Isso fica mais evidente em lançamentos com L1/LB, Triângulo/Y ou em cabeçadas.

E como já era de se esperar após a perda dos direitos das competições da UEFA, são bem poucos os times (pelo menos os grandes, que todos querem usar) com licenciamento oficial de seus escudos, nomes e uniformes. É bem desanimador escolher o Barcelona e ter de enfrentar o MD White (nome do Real Madrid em PES) no maior clássico do futebol espanhol.

Ou, em pleno 2018, ter de se contentar em reeditar o confronto entre as maiores equipes de Manchester como um Man Red contra Man Blue.

Isso se ameniza um pouco quando se trata do Campeonato Brasileiro. O público brasileiro claramente é uma das maiores apostas da Konami no mundo todo. E a maioria dos times da Série A possui escudos, uniformes e elencos reproduzidos com fidelidade, apesar de equipes como Botafogo, Fluminense e Grêmio mesclarem jogadores reais e genéricos.

7 0
Ver comentários ()

Pro Evolution Soccer 2019 / PC, PlayStation 4, Xbox One

Pontos Positivos
Inteligência artificial mais esperta e ligada nas jogadas.
Novas animações dão um ar mais natural às partidas de PES.
Vários times e elencos do Campeonato Brasileiro.
Pontos Negativos
Pouquíssimos times grandes licenciados.
Gameplay ainda tem falhas que atrapalham a imersão.
Bola perde o peso enquanto está no ar.
7
Bom

Sobre o Autor

Pedro Scapin

Desde sempre com um controle de videogame nas mãos, fã de Bloodborne e Dark Souls, viciado em FPS e jogos de esporte, e órfão de sua fita de Pokémon Crystal.

Twitter e Instagram: @PedroScapin17

Participe da Conversa

Pro Evolution Soccer 2019

  • Data de Lançamento: 30 de agosto, 2018
    • PC
    • PlayStation 4
    • Xbox One
    A popular franquia da Konami promete muitas inovações tanto dentro quanto fora de campo.
    Desenvolvedora:
    Konami
    Publisher:
    Konami
    Gênero(s):
    Esportes
    Pendente