REVIEW

Wreckfest Review – Invadindo A Festa

  • Data de Lançamento: 31/12/2014
  • Data do Review: 29 de junho, 2018
  • PC, PlayStation 4, Xbox One

Um festival de destruição.

por James Swinbanks em 29 de junho, 2018

traduzido por Pedro Scapin em 29 de junho, 2018

Se tem algo que serve como lição em um jogo como Wreckfest, é que bater com carros velhos, jogar oponentes em barreiras de concreto, e costurar por um grupo de carros batidos pode ser, mesmo em 2018, brilhantemente divertido. Após quatro anos no early access da Steam, Wreckfest chegou às pistas com uma confiança surpreendente. Se gabando de um impressionante sistema de colisão que faz com que carros batam, girem e fiquem amassados com um realismo brutal e uma inteligência artificial feroz, cada evento transborda satisfação. Wreckfest tem sucesso onde importa, e se tornou um dos games de corrida mais surpreendentes e gratificantes do ano.

O modo carreira de Wreckfest é formado por cinco diferentes campeonatos, cada um consistindo de vários eventos – desde campeonatos com várias corridas até dérbis de demolição – que são desbloqueados gradualmente enquanto você ganha XP e aumenta seu nível de piloto. Além de XP, recompensas são dadas regularmente na forma de peças de performance e créditos para comprar novos carros e outras peças, então, mesmo uma colocação ruim, o que acontecerá, nunca parecerá uma perda de tempo.

A maioria dos eventos da carreira são corridas simples até a linha de chegada onde você tem várias voltas para caçar os oponentes e garantir a melhor posição possível, te dando a chance de criar um caos enquanto roda pela pista. Os inícios das corridas são uma bagunça linda e caótica enquanto os carros brigam por uma posição. É lá, também, que o motor gráfico do game mostra seu potencial já que carros voam pelo trajeto através de grades de madeira e barreiras de pneus, espalhando detritos e fragmentos no ar e na estrada. Pode ser algo espetacular de se assistir de longe quando se persegue um bando de carros durante um replay, mas igualmente brutal quando você faz parte disso.

Outros tipos de evento incluem dérbis de demolição, onde você tenta transformar os carros de seus oponentes em cubos de metal ao bater o mais forte que puder neles, e corridas no estilo eliminação que normalmente acontecem em um circuito fechado em forma de oito ou oval. Ainda há um ocasional dérbi “lawnmower”, que mostra o senso de humor ligeiramente perturbado do jogo. Cada modo oferece não só variedade de destruição, mas é algo visualmente espetacular de seu próprio jeito. Acertar um ataque com o “timing”perfeito e jogar o inimigo no caminho de um carro vindo na direção oposta e assistir a destruição que vem a seguir é lindo.

O dano é Wreckfest tem duas configurações: normal e realista. Na normal, você e seus oponentes podem sobreviver por mais tempo aos golpes, tornando impactos mais pesados bem mais suportáveis. Mas, nas condições realistas, as coisas ficam um pouco mais difícil e espetacular também. Corridas mais longas se tornam testes de sobrevivência, já que uma colisão mais forte já tira seu carro da competição (ou pelo menos mexe bastante com a direção dele). Um pouso mal executado após um salto pode destruir sua suspensão e te mandar direto para uma parede de concreto que se despedaça de maneira espetacular com o impacto, e é fim de papo pra você. Não há opção de voltar no tempo para corrigir seus erros; ou você recomeça a corrida ou está tudo acabado. Mas, enquanto esse tipo de repetição normalmente seria irritante, o ato de correr é tão bom que isso não acontece.

Quando você consegue escapar do caos e manter um bom ritmo dirigindo, Wreckfest mostra físicas de direção maravilhosas. A transição entre diferentes superfícies é sublime, e, independente de você estar dirigindo com um volante top ou com um controle normal, a sensação de deslizar por uma curva e acelerar até o final é incrível. Pneus deslizam na terra mas gritam por freio no asfalto, e você quase pode senti-los flexionando conforme os carros passam por curvas.

Cada tipo de carro, desde um ônibus escolar até um Killerbee miniatura de duas portas, é diferente. Alguns são mais pesados e mais lentos, enquanto outros são mais leves e conseguem fazer curvas melhor, mas sofrem mais em colisões. Upgrades em veículos podem alterar substancialmente a direção, seja através de performance melhor ou de um chassi mais forte que absorve melhor dano. Mesmo que não haja uma maneira de salvar conjuntos de upgrades e isso possa ser uma dor de cabeça ao otimizar para cada tipo de evento, no geral, é um sistema de upgrade significativo com efeitos tangíveis na já variada sensação de corrida.

A inteligência artificial corre sem se preocupar com nada, não obstante o cenário ou nível de dificuldade, sem medo de te jogar para fora da pista se eles decidirem que querem te ultrapassar ou se querem bater em você para te eliminar. Se competir contra a IA não é sua praia, você pode partir pro online e correr contra outras pessoas em servidores dedicados ou montar seu próprio servidor customizados com suas próprias regras, e tudo funciona perfeitamente.

Comparado ao gameplay dinâmico, a experiência do usuário de Wreckfest é um pouco frustrante. A interface é surpreendentemente brando para um jogo tecnicamente impressionante, com menus estáticos e trilha sonora de rock pesado desagradável o suficiente para fazer você desativar imediatamente a música. Tirando isso, você consegue apreciar totalmente os excelentes efeitos sonoros do jogo. Os motores roncam alto – exceto pelo “lawnmower”, que parece com milhares de mosquitos irritados – e os sons de batidas são impactantes e tremem os ossos. Igualmente bons são os gráficos do game. Os próprios carros, apesar de velhos e batidos, são bonitos e prontos para a ação. Os detritos permanecem na pista durante a corrida, assim como os restos de carros que não chegaram ao final. As Heat Races mostram as pistas em diferentes horas do dia, com as últimas voltas normalmente acontecendo enquanto o sol começa a se por e raios de luz solar se espalham através de frestas nas arquibancadas e árvores. Os replays te dão a chance de reviver seus melhores momentos, apesar de que a ausência de um sistema de “rewind” faz focar em momentos específicos algo difícil, te forçando a sempre começar o replay do início.

É raro quando um jogo de corrida consegue modernizar e revigorar uma velha fórmula com confiança espetacular, mas Wreckfest faz exatamente isso. Pequenos problemas com o menu sua trilha sonora de lado, o jogo impressiona com um visual lindo e um gameplay maravilhoso, além de um sistema de dano que satisfaz das maneiras mais brutais. Com sua seleção de diferentes carros, pistas e tipos de evento, Wreckfest é um jogo de corrida brilhantemente divertido e frenético que pode ser prazeroso para todos, não apenas os fãs do gênero.

Acompanhe o GameSpot Brasil no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e Twitch.

1 0
Ver comentários ()

Wreckfest / PC, PlayStation 4, Xbox One

Pontos Positivos
Grande variedade de carros e pistas, cada um com visual e "feeling" diferente
Físicas de colisão e dano são espetaculares
Sensação de direção esplêndida e sofisticada tanto no controle quanto no volante
Recompensas das corridas são muitas e significativas
Inteligência Artificial agressiva é um desafio recompensador de se superar
Pontos Negativos
Interface de Usuário amena que vai de encontro ao charme técnico geral
Trilha sonora horrorosa
9
Muito Bom
Participe da Conversa

Wreckfest

  • Data de Lançamento: 31 de dezembro, 2014
    • PC
    • PlayStation 4
    • Xbox One
    Wreckfest é um game de corrida com temática de dérbi de demolição com dinâmicas de direção sofisticadas e upgrades extensos dos veículos. Uma mistura de diversão e batidas.
    Desenvolvedora:
    Bugbear
    Publisher:
    THQ Nordic, Bugbear
    Gênero(s):
    Arcade, Corrida
    Pendente