Bungie rompe com Activision e assume controle sobre Destiny

Direitos autorais serão transferidos para Bungie, que assume total responsabilidade pela série a partir de agora.

A Bungie anunciou nesta quinta-feira (10) que rompeu com a Activision e está no processo de adquirir os direitos autorais sobre Destiny e assumir completamente o controle sobre o jogo online. Ou seja, Destiny 2 agora é um game indie.

A informação foi publicada no blog oficial de Destiny, onde a Bungie agradeceu a Activision pelos oito anos de parceria – ambas assinaram contrato em 2010, apesar do primeiro Destiny ter saído em 2014 – e deu uma prévia do que está por vir.

“Quando estabelecemos nossa parceria com a Activision, a indústria de games estava em uma situação bem diferente. Como um estúdio independente que se preparava para produzir uma experiência totalmente nova, gostaríamos de ter um parceiro que estivesse disposto a dar esse salto com a gente”, disse a desenvolvedora de Destiny.

Agora, ao lado da nossa notável comunidade de Destiny, estamos prontos para seguir com nossas próprias pernas, enquanto a Activision vai se focar em projetos das suas propriedades intelectuais”.

LEIA MAIS: Vendas de Destiny 2 decepcionam e Activision planeja reforçar microtransações

A Bungie afirmou que o processo de transição já começou, mas ainda está nos estágios iniciais. E que tanto eles como a Activision estão comprometidos em fazer com que isso seja imperceptível para os jogadores, dando inclusive continuidade ao lançamento de todo o conteúdo que já estava programado.

Com Renegados, nós aprendemos, ouvimos e nos inclinamos sobre o que acreditamos que nossos jogadores querem de uma ótima experiência Destiny. E pode ter certeza que tem mais a caminho”, afirmou o estúdio.

No PC, Destiny 2 é hospedado dentro da Battle.Net, da Blizzard, empresa que pertence à Activision. No entanto, a Blizzard afirmou no Twitter que o jogo continuará tendo suporte da plataforma e que não há interrupções previstas no serviço.

Aliança fragilizada

Tanto Destiny como Destiny 2 foram jogos irregulares, com muitos altos e baixos, mas Bungie corrigiu erros e melhorou os dois jogos drasticamente com expansões pós-lançamento.

No caso de Destiny 2, especificamente, o jogo ficou um pouco mal visto pelas microtransações e a loja Eververso. Apesar de ser difícil separar decisões feitas pela Bungie das feitas pela Activision, a comunidade de jogadores demonstrava preocupação com a influência da publisher no incentivo a esse modelo de negócio.

Sinais de um possível desgaste entre as duas companhias se tornaram públicos em 2018 logo após o lançamento da expansão Renegados, em setembro.

Apesar do conteúdo ter sido recebido com muito mais apreço do que o jogo base, a Activision se pronunciou publicamente declarando que ele havia sido uma decepção comercial.

Isso levou Luke Smith, diretor de Destiny 2, a dar uma resposta no Twitter:

Não estamos desapontados com Renegados. Nos comprometemos a construir um game que os jogadores de Destiny amariam. E que nós da Bungie também amássemos. Construir Destiny para os jogadores que amam isso é e continuará sendo nosso foco sempre”.

Uma empresa independente

Esta não é a primeira vez que a Bungie se separa de um parceiro. O estúdio pertencia à Microsoft, onde criou a série Halo e trabalhou até o game Halo: Reach. Em 2007, porém, a Bungie comprou sua independência e se desvinculou da gigante de tecnologia.

Acompanhe o GameSpot Brasil no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e Twitch.

Arquivado em:
PC, PlayStation 4, Xbox One

Tem uma sugestão de notícia? E-mail: sugestoes@gamespot.com.br

5 0
Ver comentários ()
Participe da Conversa