E3 2019: Phil Spencer fala sobre Project Scarlett, Sony, xCloud e muito mais

Chefão de Xbox falou muito sobre o futuro da marca.

E3 2019 XboxEm entrevista ao site Giant Bomb na E3 2019, Phil Spencer, chefe de Xbox, compartilhou muitos detalhes interessantes sobre o futuro da marca, incluindo o recém anunciado Project Scarlett, o xCloud e a competição com Sony e Nintendo.

LEIA MAIS: 

Falando sobre o Project Scarlett, Spencer disse que força bruta é “muito importante”. Ele não sabe como as especificações do novo console se comparam com as do PS5, mas se espera que ambos sejam similares, e que no final das contas, a competição será no preço e na lealdade à marca.

De qualquer maneira, Spencer disse que a Microsoft está “mirando no primeiro lugar”, e que ser líder na categoria de consoles é algo que a equipe de Xbox está comprometida em alcançar.

Spencer também falou sobre como a Microsoft não planeja que o Scarlett seja o último console da empresa. Ele disse não saber qual será a forma dos próximos sistemas, mas a Microsoft enquanto empresa está comprometida em fazer mais hardwares depois do Scarlett.

Calendário é algo com o qual Spencer não quer se comprometer, já que disse que não há uma cadência regular para quando um novo hardware é lançado. O desafio para a Microsoft é pensar sobre qual será a próxima evolução nos games, e então projetar um console para isso.

Além disso, Spencer também falou na entrevista que a Microsoft ainda não decidiu um nome para o Project Scarlett. “Eu honestamente não sei qual é o nome; não temos uma lista de nomes”, disse o executivo.

Rumores apontam que Project Scarlett é o nome de toda uma estratégia da Microsoft para a próxima geração, composta de um sistema mais poderoso, com o codinome Anaconda, e um mais modesto, chamado Lockhart.

No que se refere a preço para o Project Scarlett, Spencer disse que a Microsoft possui uma “faixa” a qual está considerando, mas nada está definido. Um problema que poderia complicar esse assunto é uma tarifa de 25% proposta pelo presidente dos Estados Unidos Donald Trump para eletrônicos fabricados na China e exportados para os EUA, disse Spencer. A Nintendo recentemente mudou sua produção do Switch da China para outro país asiático para evitar essas potenciais tarifas.

Spencer ainda falou sobre como a retrocompatibilidade é importante para a geração do Project Scarlett. Ele disse que quer respeitar as compras que as pessoas fizeram em plataformas anteriores, e, por isso, o Project Scarlett terá suporte a “milhares” de games através de quatro gerações de sistemas Xbox.

No entanto, nem todo jogo antigo vai rodar no Project Scarlett, devido a acordos de licenciamento e outras burocracias. Ainda assim, Spencer disse que os novos contratos que a Microsoft está fazendo com desenvolvedoras e publicadoras atualmente tem muito mais foco em retrocompatibilidade do que antes.

Publicadoras e desenvolvedoras agora enxergam o valor em conteúdo de legado, disse Spencer, e estas questões estão sendo fundamentais em novos acordos de licenciamento.

Xbox Game Pass PCO Xbox Game Pass também foi assunto na entrevista, e Phil Spencer disse que o serviço está criando uma situação onde os desenvolvedores talvez se aproximem de Xbox em particular porque sabem que podem lançar um jogo em um catálogo com milhões de assinantes que estão a um apertar de botão de baixar seu novo game.

Ao mesmo tempo, isso pode criar um novo desafio para alguns desenvolvedores, porque eles precisam garantir que sua infraestrutura de back-end seja capaz de suportar potencialmente milhões de pessoas jogando logo no lançamento, disse Spencer.

O executivo da Microsoft também falou sobre o xCloud, que é o novo serviço de streaming de jogos de Xbox, com lançamento previsto para outubro. Spencer disse que talvez ainda estejamos a anos de ver o streaming como a maneira mais popular e predominante com a qual as pessoas jogam.

Nesse momento, e num futuro próximo, Spencer disse que jogar videogame em um hardware na sua casa será a melhor maneira de vivenciar novos jogos, como Cyberpunk 2077 – especificamente citado pelo executivo.

Cyberpunk 2077Entretanto, para aqueles que querem jogar fora de casa, em seus smartphones ou outros dispositivos compatíveis, e não se importam com resolução e frame rate mais baixos, essas pessoas poderão fazer isso com o xCloud.

Spencer comentou também a relevância da E3. Ele disse que o evento segue relevante e importante para o mundo dos games. É a época do ano onde o mundo inteiro está vendo e falando de jogos, e isso é muito importante hoje, quando a indústria está sofrendo com críticas e julgamentos.

Uma ameaça recente foi o reconhecimento da Organização Mundial da Saúde do distúrbio de games como doença. Spencer disse que a E3 é importante para mostrar ao mundo que videogame não é sinônimo de crianças trancadas em um porão. E sem gigantes como Sony e Activision, a E3 pode acabar perdendo notoriedade, disse Spencer.

Falando nisso, Spencer ainda comentou a competição da Microsoft com Sony e Nintendo, dizendo que, ainda que ele queira que Xbox seja o número 1, ele pensa que todos podem ganhar ao mesmo tempo e trabalhar em conjunto para a comunidade de games como um todo. Ele disse que não vê o negócio como uma luta, mas como uma oportunidade criar coisas que as pessoas amam.

Spencer quer eliminar a “fricção” que existe entre os competidores, e exemplos recentes disso incluem a chegada de Banjo a Super Smash Bros. Ultimate e Sony e Microsoft trabalhando juntas em tecnologia de streaming na nuvem.

Falando sobre a inevitável competição entre Project Scarlett e PlayStation 5, Spencer disse que quer Xbox em primeiro ligar, e que “ninguém é mais competitivo do que ele”. Mas isso não quer dizer que ele queira ver a Sony sofrer.

Acompanhe o GameSpot Brasil no Facebook, Twitter, YouTube, Instagram e Twitch.

Arquivado em:
E3 2019, Xbox One

Tem uma sugestão de notícia? E-mail: sugestoes@gamespot.com.br

3 0
Ver comentários ()
Participe da Conversa